Celebrando os amigos

9 a 13 de maio de 2017

 

    EDIÇÕES     2007    2008    2009    2010    2011   2012    2013/2014   2015

2008    A segunda edição do festival,  homenageou a fotógrafa Claudia Andujar e consolidou a programação de projeções e definiu o perfil multimídia do festival. Nomes brasileiros e internacionais participaram das projeções Fotografia Brasileira Contemporânea e Diálogos Internacionais. O nome internacional homenageado foi o fotógrafo uruguaio Aurélio Salcedo cujas fotos do tempo da ditadura no Uruguai tinham sido descobertas e recuperadas depois de 20 anos. A edição 2008 do FestFoto teve uma forte presença da fotografia de informação, fotojornalismo, fotografia documental e com enfoque em questões sociais. O ponto do festival foi a palestra de Claudia Andujar e a exibição de sua obra sobre os índios Ianomami. O painel da fotografia gaúcha contemporânea apresentou os trabalhos de Fernando Bueno, Luiz Abreu,  Jacqueline Joner, Eneida Serrano e Rui Varela.

2007   A primeira edição do FestFoto teve como convidada especial a fotógrafa suíça Martine Frank, da Agência Magnum e presidente da Fundação Henri Cartier-Bresson, que fez leituras de portfólio e uma palestra exibindo seu trabalho no formato de projeções. A Magnum in Motion, então vertente digital da lendária agência, já existia e em apoio ao festival enviou sete projeções dos principais nomes da Agência que estavam atuando na América Latina. Foi também em 2007 que o festival deu início a uma mostra da fotografia gaúcha, convidando os fotógrafos Luiz Carlos Felizardo, Leopoldo Plentz, Luiz Eduardo Achutti, e Fernanda Chemale. O festival aconteceu em três centros culturais: Stúdio Clio, Santander Cultural e a na Sala P.F. Gastal, sala de cinema da Usina do Gasômetro. Inaugurou também as projeções noturnas e externas que aconteceram na varanda da Usina do Gasômetro, a partir das 21 horas, criando uma nova programação no verão de Porto Alegre.

2009    Com o tema Humanismo e Realidade e homenageando o fotógrafo Luis Humberto, a terceira edição do FestFoto, trouxe também a Porto Alegre o fotógrafo francês Marc Riboud que participou de duas mesas projetando sua obra construída dentro da Agência Magnum. Uma mesa específica sobre o Maio de 68 na França e no Brasil foi composta por Marc Riboud e Evandro Teixeira. Impossibilitado de estar presente no festival por questões de saúde, Luis Humberto foi homenageado com uma mesa apresentada pelo fotógrafo Leopoldo Plentz e pelo curador e pesquisador Rubens Fernandes Júnior, membro do conselho curador do FestFoto. O festival também recebeu um encontro da Rede de Festivais Latino-Americanos de Fotografia.

2010   Realizado pela primeira vez no Santander Cultural, a quarta edição do festival, com o tema "A Terceira margem do tempo fotográfico...o território da fotografia", explorou as experiências da fotografia na arena da arte contemporânea. Uma diagonal de interação criada dentro do espaço expositivol colocou em diálogo as salas de projeção "Henri Cartier-Bresson" e "Helio Oiticica, esta com curadoria da Cia de Foto. O fotógrafo homenageado foi Thomaz Farkas e sua exposição foi resultado de uma parceria com o Instituto Moreira Sales. Foi também a edição em que o festival convidou a fotógrafa Jacqueline Joner para fazer uma curadoria da nova fotografia gaúcha com nomes que já despontavam e hoje se consolidam no cenário nacional como Tiago Coelho, Fernando Schmiit, Letícia lampert, Denise Helfestein. Foi também o ano em que o Fotograma Livre Projetou os nomes de José Diniz, Renata Massetti, Alexandre Severo, Priscilla Buhr e Ana Lira, hoje consolidados no cenário nacional. Convidado pela curadoria da Cia de Foto, um video de Breno Rotatori se tornou a vinheta oficial da 4a. edição.

2011    Com o tema "A Família - relações sociais, memória, cidadania", mas se distanciando do entendimento de família nuclear, e explorando o universo cultural e as vivências territoriais, o FestFoto fez sua quinta edição, homenageando o fotógrafo gaúcho Luiz Carlos felizardo com uma exposição retrospectiva e um livro abrangendo todas fases da sua carreira, tornando-se uma obra de referência. A quinta edição marcou uma forte presença de fotógrafos do Mercosul, com trabalhos nas mais diversas linguagens, assim como a participação das novas gerações da fotografia brasileira contemporânea, com destaque para os mineiros Pedro David e  João Castilho. Foi a edição que consolidou a Biblioteca FestFoto que recebeu mais de 200 livros em doações dos próprios fotógrafos, editoras e livrarias. Foi também o ano em que o FestFoto recebeu Lélia Salgado para falar do seu trabalho e as curadorias que fez das obras de Sebastião Salgado e Henri Cartier-Bresson. Nas leitutas de portfólio, Os nomes de Leopoldo Plentz, Luiz Abreu e Tiago Coelho foram selecionados para as leituras de portfólio de Houston e Buenos Aires respectivamente.

2012   A Experiência Coletiva, foi o tema da 6a edição que homenageou a fotógrafa paulista Nair Benedicto, com uma antologia de sua obra em exposição e livro. O festival também apresentou um resgate do trabalho das agências independentes de fotógrafos no Brasil das décadas de 70 e 80, exibindo o trabalho das agências F4, Ágil, Angular, Focontexto e Vix. A Agencia Imagens do Povo, criada a partir do Observatório de Favelas, na Comunidade da Maré do Rio de Janeiro, esteve presente no festival exibindo a produção dos seus fotógrafis e lançando o livro Imagens do Povo. No Encontros com o autor, nomes como Juca Martins, Rogério Medeiros, Ricardo Chaves, e também o fotógrafo Andre Liohn, brasileiro ganhador do Prêmio Robert Cappa com seu trabalho sobre a guerra civil na Libia.  Na sala de projeções Diálogos Internacionais destacaram-se os nomes convidados a partir das leituras de portfólio  realizadas em Houston em 2012. E o Fotograma Livre incorporou nomes internacionais.

2013/2014     A sétima edição explorou o tema Preto e Branco, mas não de forma literal e sim, contrastes e meios tons na cultura, política e sociedade. Foi a edição que exibiu as imagens dos protestos de julho de 2013, do Mídia Ninja, dos fotógrafos independentes do fotojornalismo de Rede. Foi também a edição que homenageou o fotógrafo gaúcho Ricardo Chaves com a exposição a "Força do tempo, na Galeria Xico Stockinger, na Casa de Cultura Mario Quintana, mostrando o fotógrafo e o editor na carreira de Ricardo Chaves, o Cadão. E foi a edição que trouxe a Porto Alegre a exposição Gênesis, de Sebastião Salgado, com curadoria de Lelia Salgado exibida na Usina do Gasômetro com um público visitante de 221 mil pessoas e mais de três mil alunos da rede pública em visitas guiadas da Ação Educativa. A palestra de Sebastião Salgado, realizada no auditório Salão de Atos da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, recebeu cerca de três mil pessoas, entre os que conseguiram assento no auditório, no auditório menor e no telão exibido na entrada da Reitoria, para um público que fazia fila em todo o quarteirão do campus da universidade. Gênesis quebrou todos os recordes de público em Porto Alegre.

 

 

2015   A oitava edição explorou o tema A Fotografia no Limite da Fotografia, e pela primeira vez teve um conselho curador composto só por gaúchos: Danilo Christidis, Fernando Schmitt e Leo Caobelli (Coletivo Garapa). Também foi a edição em que o conselho curador tomou a decisão de dar visibilidade a nomes que ainda não se firmaram na fotografia brasileira contemporânea mas que estão produzindo belas experiências de narrativas visuais e pesquisas da imagem. A 8a edição abrigou a maior leitura de portfólio da história do FestFoto com prêmios para as leituras de portfólio de Houston (em 2016), Buenos Aires(2016), exposições em Montevideo (2016) e o Prêmio Itaú de Aquisição. O FestFoto foi encerrado com uma palestra antológica do fotógrafo mexicanos Pedro Meyer.

Financiamento

Apoio

Apoios Internacionais

Apoio Editorial

Patrocínio

Produção

Realização